Ausência de carnaval e volta de radares fazem parte da estratégia eleitoral em busca da manutenção do poder

Não se esqueça, tudo na política não é que você imagina que seja… Tanto a ausência de carnaval, ou de lazer gratuito para a população, em Uberaba este ano, quanto a volta dos radares de trânsito em abril, são dentro do que prevê o grupo que está no poder, e pretende se manter nas eleições de 2020… Não entendeu? Explico…
Como 2019 é um ano “morto” eleitoralmente, isso tudo faz parte da estratégia do gripo ligado a elite da cidade para se manter no poder, seja com Franco Cartafina, Marcos Montes, Luiz Neto ou até Marcos Jammal. Seja lá quem for o candidato apoiado por Paulo Parado Piau, que não pode disputar as eleições.
Já em 2020, será tudo diferente… Vão fazer um carnaval de arromba e vão acabar com os radares. Nos dois casos tem explicações que vão além de 2019 não ser um ano eleitoral, e não ter interesse em agradar a população.
Usam também disso para fazer caixa. Isso mesmo. Economizam com o carnaval e arrecadam com os rafares, que voltam com tudo a partir de abril. Com esse dinheiro, fazem um carnaval de arromba em 2020, suspendem os radares, e muitos ainda caem, e votam neles achando que são “bonzinhos”, pela grande festa e por ter “acabado com os radares”…
E como o brasileiro, e claro, o uberabense, é imediatista, e não costuma usar o raciocínio eleitoral para essas coisas, e que está sendo engando, outro vez, vota por carisma e dinheiro, e dança, outra vez…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *