Encaixes de assessores e aumento de cargos podem transformar Prefeitura em insustentável

Considerado um dos maiores cabides de empregos de Uberaba desde a década de 1990, quando José Thomaz da Silva Sobrinho era presidente, e quando estourou o um famoso escândalo, a Fundação Cultural de Uberaba, pasmem, deve ganhar ainda mais cargos. E não só a FCU, mas a Secretaria Municipal de Educação também.
Dois projetos que serão votados hoje, e claro, aprovados, já que os vereadores somente fazem o que o prefeito Paulo Parado Piau manda, aumentam a estrutura dos dois departamentos. Longe de fazer economia, aliás, palavra que passa longe de Piau, Uberaba vai inchando cada vez mais a Prefeitura, ficando, em poucos anos, insustentável.
Os projetos que deverão ser aprovados hoje pelo senhores vereadores mexem nas estruturas organizacionais da Fundação Cultural e Prefeitura de Uberaba. Com a Biblioteca Municipal e sua estrutura de volta à Secretaria de Educação, será criado o Departamento de Contabilidade e transformada a Seção de Recursos Humanos em departamento. Já o Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) passará para a Seduc, também. Na Prefeitura estão sendo criadas duas assessorias de apoio ao gabinete, duas assessorias IV e uma seção. O Departamento de Paisagismo e Horto Florestal e sua seção vão para a Secretaria de Meio Ambiente.
E a farra continua…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *