‘Estratégia do susto’ usada por Piau não funciona, e dois novos pedidos de impeachment são feitos

Sabe o que quer dizer a aceitação, por parte da Promotoria de Justiça, da denúncia de crimes de calúnia, injúria e difamação contra o advogado Vicente Araújo, autor de três dos cinco pedidos de impeachment de Paulo Parado Piau? Absolutamente nada. Ainda mais que tal denúncia foi formulada por Luiz Neto, ainda presidente da CODAU, que tem muito mais que explicar do que denunciar.
Até porque a denúncia foi recebida pelo promotor de Justiça Laércio Conceição Lima, um dos mais sérios que conheço. A denúncia é apenas para investigar o caso, até porque o Ministério Público não tem poder de punir ninguém.
A questão é simples: Piau, Luiz Neto e companhia estão muito preocupados com outros que tenham a mesma coragem, como já aconteceu na sexta-feira, com mais dois pedidos de impeachment, e entrem outras solicitações. O erro, ao meu ver, é que os caminhos estão equivocados, não deveriam, como estão fazendo, entrando na Câmara Municipal de Uberaba. Até porque atualmente a CMU só tem bajuladores de Piau e companhia, com exceção de um ou dois vereadores, que apenas também só jogam pra galera tentando garantir a reeleição no que que vem.
Os caminhos são o próprio MP, ou mesmo, ainda mais Araújo sendo advogado, entrar com ações populares na Justiça direta contra Piau. O contra-ataque de Piau e Luiz Neto é apenas para tentar amedrontar quem queria seguir o mesmo caminho de Araújo. Apesar que tal estratégia não anda adiantando, já que dois novos pedidos impeachment foram impetrados na sexta-feira por pessoas diferentes.
Ou seja, o estrago na imagem política do grupo que está no poder é grande, mas não traz estragos práticos, jurídicos e nem político imediato.
O mais grave é a chamada “imprensa” em Uberaba divulgar tal “denúncia” de Luiz Neto no MP, sem questionar ou explicar como funciona… Aliás, essa imprensa apenas faz parte da estratégia deles de “assustar”…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *