Prefeito acena com ‘destruição histórica’, com fim de memória uberabense e busca por lucros

Uberaba nunca teve uma administração municipal que sempre privilegia interesses individuais em detrimento aos interesses da comunidade como a atual. Impressionante. Por aqui, quem é “amigo do rei” tem tudo, mesmo que a grande maioria seja prejudicada.
A mais nova prova desse absurdo foi informada ontem pelo ainda prefeito Paulo Parado Piau (MDB). Em reunião com empresários, claro, o político disse que pretende, pasmem, flexibilizar a lei de proteção a prédios históricos de Uberaba. Entendeu né? Vai fazer a vontade de empresários que querem jogar patrimônios históricos no chão em busca de lucros.
Até porque, pensando bem, Piau não está nem ai para história de Uberaba, já que nem daqui ele é … Mas a coisa é pior ainda, e vai beneficiar especuladores de imóveis e donos de imóveis que são tombados, e que estão doidos para ver a história de Uberaba virando pó.
E essa luta, pela preservação da história é antiga, e fui um dos que ajudei na época a cidade ter uma lei municipal de preservação dos prédios históricos. Inclusive tal luta virou dissertação e luta do professor universitário André Azevedo, na época da Uniube, como você vê no detalhe. Na matéria do Jornal Revelação (jornal da Uniube), o professor fala da destruição dos prédios históricos de Uberaba no início da década de 2000. Inclusive, cita a minha coluna na época, no Jornal de Uberaba, “Em Tempo”, que ajudou na luta contra esse crime contra a história da cidade. Com ação efetiva do Ministério Público na época, por meio do promotor de Justiça Laércio Conceição Lima, a lei municipal foi criada e a destruição impedida.
E agora, Piau, atendendo a interesses econômicos de empresários, quer jogar toda essa luta pela nossa história no chão…
Pobre Uberaba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *