Quatro ‘pilares’ traduzem recorde em demissões, péssimos atendimentos, e Saúde para privilegiados

Má gestão municipal da Saúde, Reforma Trabalhista, interesses de planos de Saúde e clínicas particulares e crise econômica. Estes quatro fatores seriam responsáveis pela maior crise que a Saúde vive na história de Uberaba. Como publicou ontem o BLOG, foram 800 demissões em um ano em Uberaba em diversos hospitais da cidade.
Com uma Secretaria Municipal de Saúde inoperante, com terceirizações absurdas do setor, com UPAs, atrasos em repasses do SUS a hospitais, e falta de esforço e habilidade política para conseguir recursos federais para solucionar os problemas. Essa é a situação da inoperante Secretaria, comandada por Paulo Parado Piau e Iraci Neto.
Outro fator foi a Reforma Trabalhista, realizada por Michel Temer (MDB), com apoio do então deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), e que entrou em vigor em novembro de 2017. Hoje patrões demitem funcionários experientes e contratam outros por 1/3 do valor que pagavam antes. E quando contratam… Hoje se usa mais contratar por sub-serviço, a famosa precarização da mão de obra.
E para agravar ainda mais, a Prefeitura de Uberaba hoje faz o jogo, claro, por interesses financeiros, dos planos de Saúde. Os planos têm interesse que a Saúde pública seja cada vez pior, para que as pessoas sejam obrigadas a adquirir um plano para ter um atendimento digno.
E para piorar, a crise financeira que o país entrou nos últimos anos, colocando o setor da Saúde ainda mais em um buraco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *