Suspensão de atendimentos na Saúde em Uberaba pode configurar improbidade administrativa de Zema

Pedalada fiscal ou improbidade administrativa? Pode escolher para definir o que o Governo do Estado (Romeu Zema) vem fazendo em relação ao Instituto de Previdência dos Servidores, o IPSEMG. Em Uberaba, a bronca é grande entre os servidores estaduais, e hospitais e clínicas médicas suspenderam os atendimentos pelo IPSEMG.
Acontece que o Governo Zema tem descontando dos servidores o valor da Previdência, mas não repassa as instituições de Saúde. Um dos que cortou o convênio, e vem prejudicando os servidores, é Mário Palmério Hospital. A instituição justificou a suspensão dos atendimentos por não estar recebendo do IPSEMG.
Como os valores continuam a serem descontados dos servidores, tal caso configura pedalada fiscal, por estar usando esse dinheiro para outro fim, ou mesmo improbidade administrativa do Governo, já que estaria apossando de um dinheiro que não lhe pertence.
E a bronca dos servidores não é somente com o Governo Zema. Servidores, principalmente professores da rede estadual em Uberaba, estão revoltados com o sindicato da categoria, o SindUte. Na avaliação de alguns deles, a citada entidade não age como deveria para cobrar do Governo do Estado o cumprimento da lei, e a volta dos atendimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *