Ausência de plano de transição, sobrecarga e repasse mínimo, afastam voluntários do Hospital das Crianças

Veja o que é o poder público ser mal administrado, e com outros fins que não sejam o bem estar da população. Como o BLOG já vem abordando nos últimos meses, a absurda desativação dos atendimentos infantis nas UPAs e a sobrecarga do Hospital das Crianças, a coisa é ainda pior, e a cada detalhe, mais certeza que tal decisão de Paulo Parado Piau é para beneficiar determinados setores privados da Saúde.
Tal medida não só sobrecarregou o Hospital das Crianças, já castigado há anos com falta de recursos, como também afastou gente que era voluntária na citada instituição, após a reunião que a Secretaria Municipal de Saúde fez para informar sobre como funcionaria tal convênio.
Entre as broncas de voluntários, que destinavam parte de seu tempo de forma gratuita para o hospital, foi o questionamento feito aos representantes de Piau em tal reunião (entenda-se Iraci Neto e companhia), sobre como era o plano de transição dos atendimentos pediátricos das UPAs para o hospital. A resposta? Não existe e não existiu plano algum, como informado pelos próprios representantes.
E pensa que acabou? Outra coisa que revoltou quem ajudava o Hospital das Crianças há anos foi o valor informado em tal reunião do rapasse que da Prefeitura de Uberaba para a instituição: apenas R$ 120 mil mensais.
Agora, além de sobrecarregar e tirar quem ajudava o hospital, a quem interessa tal “transferência” dos citados atendimentos? Funepu, clínicas particulares, médicos, outros hospitais… Entendeu?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *