De modelo para o país, passando por vaidades e ‘ácido’, chegando ao fundo poço, a trajetória e fim da Copervale

Cinco anos do fechamento, com uma história marcada por uma empresa que foi modelo, passando por brigas internas da diretoria, chegando até o interesse de concorrentes na sua crise financeira. Tudo isso faz parte, infelizmente, da história da Copervale, cujo acórdão de sua falência vai ser publicado pelo TJMG.
O BLOG apurou que os cerca de 400 ex-funcionários, passados cinco anos do fechamento, ainda não receberam. A dívida total da empresa é calculada em torno de R$ 55 milhões. A empresa chegou a ser modelo no país, como pioneira no chamado leite de caixinha.
E o caso teve de tudo, a começar pela crise iniciada pelo famoso “ácido no leite”, mas que depois ficou comprovado que a grande maioria das marcas de leite do mercado tinha também. Mas o caso afetou tão somente a Copervale, e “graúdas” do setor nada sofreram. A crise, ainda dentro da apuração do BLOG, foi justamente a briga interna que expôs o problema, sendo usado por ex-diretores para “detonar” a Copervale. Nos bastidores, a vaidade teria sido o principal motivo das desavenças.
E não pára por ai… O fechamento da empresa, e a consequente perda de empregos e renda para a cidade, teve outra falha administrativa grave. Acontece que antes de fechar, a empresa teve duas propostas de arrendamento, uma delas da CEMIL, mas a direção não aceitou e ainda demorou a pedir recuperação judicial, o que ajudou no fechamento da Copervale.
Lamentável.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *