Divulgação de suspensão judicial da obra da Prainha atende a ‘interesses públicos’

Muita gente não entendeu, mas explico, Os uberabenses foram surpreendidos desde ontem com os meios de comunicação (jornais, rádios, TVs, sites, BLOGs e redes sociais) com estreitas relações com a Prefeitura de Uberaba e CODAU, dando a notícia que a Justiça havia suspendido a licitação da obra da Barragem da Prainha. Aquela mesmo denunciada pelo BLOG que não seria realizada, já que não cumpriu as etapas necessárias (veja os posts).
O estranhamento foi a notícia da liminar concedida a empresa que perdeu a licitação ter sido divulgada por essa “imprensa”. Não se assuste, o material foi enviado para a imprensa pela assessoria da própria CODAU.. Veja a publicação no site da CODAU no detalhe. Entendeu né?
Era a desculpa que Paulo Parado Piau e Luiz Neto precisavam para justificar a não execução de uma obra “inexecutável”… Na verdade, o anúncio de tal obra é apenas eleitoreiro, como aconteceu com a tal Estação de Tratamento de Esgoto em 2016, que até hoje não funciona.
Sobre a suspensão da licitação, o juiz Nélzio Antônio Papa Júnior, da 4ª Vara Cível da Comarca de Uberaba, deferiu liminar para suspender a obra da Barragem Prainha. Decisão foi tomada acatando o pedido de uma das empresas participantes do certame, a Top Empreendimentos Ltda, classificada em quarto lugar na licitação.
Esta é a mesma empresa que buscou alterar o resultado da licitação ao entrar com recursos no âmbito administrativo. Todas as suas alegações foram analisadas, acionadas as diligências necessárias e indeferidas dentro da legalidade. Mesmo assim e inconformada com a decisão administrativa, impetrou o mandado de segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *