Ex-prefeito evita tema ‘perseguição a aliado’, mas manda recado sobre desenvolvimento da cidade

O ex-prefeito de Uberaba, Anderson Adauto, não quis entrar em uma possível seara eleitoral do fechamento, por dois dias, pelo Procon, do supermercado pertencente ao seu aliado político Ildeu Menezes. O ex-chefe do Executivo abordou o tema, mas pelo ângulo empresarial, e de geração de empregos.
“Quando era prefeito nunca aceitei nenhum fiscal do Procon fechar um comércio sem dar todas as chances do empresário se regularizar. E outra, no último caso, o prefeito tem que ser ouvido, antes de uma atitude como essa, pois o que a cidade mais precisa são de empregos, e o poder público precisa ajudar, e não atrapalhar”, disse Adauto, que chegou a gravar um áudio, espalhado em redes sociais, de apoio a Menezes.
O ex-prefeito ainda lembrou que, independente do órgão, seja municipal ou estadual, o prefeito da cidade precisa agir, para evitar mais desemprego.
Ontem o BLOG denunciou que o Procon de Uberaba fechou o comércio de Menezes de forma arbitrária, por falta de um alvará de um depósito de gás. O estabelecimento, localizado no Conjunto Uberaba I, funciona há mais de três décadas.
“Sou amigo do Ildeu Menezes, mas nem é por isso que gravei o áudio. É por uma questão de preocupação do desenvolvimento da própria cidade, e por considerar que as pequenas empresas que geram os empregos”, ressaltou o ex-prefeito.
Lembrando que o BLOG levantou ontem a possibilidade de perseguição política do atual grupo da Prefeitura de Uberaba (Paulo Parado Piau e companhia) a Menezes, que foi coordenador de campanhas eleitorais de Lerin, em 2016, e de Ângela Marink, em 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *