Prefeitura tenta abafar, mas ‘escândalo da cerveja’ envolve lavagem de dinheiro e contas no exterior

Como sempre, depois de mais uma grande atrapalhada, a Prefeitura de Uberaba usa a imprensa local para tentar abafar o escândalo envolvendo a fábrica que viria (não se sabe se vem) do Grupo Petrópolis (Itaipava). Mas a situação do proprietário da indústria, Walter Faria, aquele que fez até vídeo em Uberaba dizendo que iria jorrar cerveja, não é nada boa. Diria até que é irreversível.

Com prisão decretada, mas foragido, o empresário, acusado dentro da Lava-Jato de lavagem de dinheiro no valor de R$ 329 milhões para Odebrecht, já confessou ter R$ 1,3 bilhão em contas no exterior.
O BLOG fez ainda uma pesquisa, e descobriu que Faria já foi acusado antes de fazer lavagem de dinheiro para o narcotráfico (veja matéria a respeito no detalhe). Inclusive, no conteúdo, ele é acusado de ter relações estreitas com Fernandinho Beira-Mar.
Agora me diz uma coisa, como um prefeito, no caso Paulo Parado Piau, e seu secretário de Desenvolvimento, e tio do deputado Franco Cartafina, José Renato Gomes, fazem tanto barulho sem antes fazer um levantamento a respeito da empresa? Lembrando que o BLOG publicou, no dia que Piau anunciou a fábrica, que Faria estava na mira da Lava-Jato e que poderia ser preso a qualquer momento.
Olha, no mínimo, é muita falta de responsabilidade. Tomara que as pessoas que acreditaram nesse projeto, principalmente que estão trabalhando na construção da fábrica, ou que pretendiam trabalha na mesma depois de pronta, não sejam as mais prejudicadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *