Sem coveiros, e com galerias irregulares, cemitérios têm pedreiro em ‘dupla função e gorjeta obrigatória’

Casos que vêm acontecendo nos cemitérios Medalha Milagrosa (Candongas) e São João Batista chamam a atenção, até porque o responsável pelo este setor é o senhor Antônio Oliveira, o Toninho 10%, atual secretário municipal de Serviços Urbanos. Segundo apurou o BLOG, o citado cemitério não possui coveiros suficientes para o trabalho, e ai que vem as irregularidades.
O BLOG apurou que, quando há sepultamentos no São João, pedreiros que fazem serviços dentro do cemitério são chamados para “ajudar”. Só que isso não sai de graça, quem está realizando o sepultamento sempre tem que dar uma “gorjeta” aos pedreiros, que sempre arrumam algo que precisa arrumar no túmulo antes do enterro.
O BLOG aurou que o caso é feito sob o conhecimento do citado secretário, e “coordenado” por um chefe, que apesar de não ser oficial, de nome Mauro, vem acontecendo há tempos.
Outra questão apurada pelo BLOG seria envolvendo a construção de galerias no Candongas, que é proibida. O problema é que a tal proibição depende muito de quem é, ou de quem é o parente, que vai ser enterrado. Há casos, como hoje mesmo, que está sendo construído galeria para enterros devido ao nome e sobrenome do falecido…
Paulo Parado Piau, que já ficou conhecido pelo apelido de Piau Paraguaçu, uma alusão ao personagem de “O Bem Amado”, o prefeito Odorico Paraguaçu, que nunca conseguia inaugurar o novo cemitério, ainda vem com essa absurda proposta, e já feita até licitação, e contestada na Justiça, para terceirizar os cemitérios. Já imaginou então quando os cemitérios passarem a pertencer a terceiros? Até para morrer em Uberaba vai enfrentar dificuldades…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *