Sob vaias, secretários e vereadores recuam de ‘aumento zero’ a servidores, em sessão marcada pelo despreparo

Despreparo, desconfiança, rabo preso e muito jogo pra galera. Assim foi a sessão de hoje pela manhã na Câmara Municipal de Uberaba para analisar as negociações salariais dos servidores municipais, com a platéia lotada. Acompanhei a sessão, e em alguns momentos, o despreparo de vereadores e secretários municipais presentes, arrancou risada do jornalista.
Depois de debates, cada mais sem emassamento que outro, Paulo Parado Piau e companhia foram obrigados a sobrestar o projeto de lei do executivo, que não dava um centavo de aumento aos servidores, apenas a reposição da inflação do último ano. Lembrando que Piau não dá aumentos aos servidores há três anos.
Inclusive, dentro da falta de preparo dos dois secretários presentes, de Governo, Luiz Dutra (esse muito xingado pelos servidores presentes), e de Administração, Rodrigo Vieira, muito contestados pelos servidores. E o discurso demagógico igual: “o prefeito quer o melhor para o servidor”…
Por sua vez, o adiamento da votação do projeto somente aconteceu porque o vereador, neo-oposição a Piau (começou a fazer oposição há poucos meses), Kaká Se Liga, fez o pedido de vista do projeto. Para não deixar tal pedido ir a plenário, os representantes do prefeito retiraram o projeto.
Além do destaque do despreparo de secretários municipais, o mesmo vale para a grande maioria dos vereadores. Com destaque para o presidente da CMU, Ismar Marão, a todo momento querendo dar sermão aos servidores presentes, demonstrando claramente estar a serviço de Piau. O mesmo vale para Almir Silva, com pouca credibilidade por ter sido vice-prefeito de Piau e líder do mesmo, fazia discurso de austeridade e negociações, o que nada combina com ele.
E não só ele, como líder do prefeito, Rubério Santos, que mais parecia o próprio Piau na sessão, de tão pouca independência que tem em relação a Prefeitura de Uberaba.
E a desconfiança dos servidores em relação ao Sindicato da categoria também ficou clara. Os servidores somente aceitaram a retirada do projeto se houvesse novas negociações com o Sindicato, mas com a presença de uma comissão de servidores para acompanhar.
O rabo preso da grande maioria dos vereadores com Piau ficou ainda mais clara em tal sessão, para a decepção da comunidade, já que a principal função de um vereador é fiscalizar o prefeito.
Os servidores vão continuar mobilizados e acompanhando tais negociações. É aquilo que avisei antes das eleições de 2016: Piau e seus aliados representam a elite da cidade e não querem saber de trabalhadores ou servidores. Acho que agora ficou claro…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *